PESQUISA

NASA encontra moléculas de água “pulando” na superfície da Lua

Pesquisadores da NASA descobriram moléculas de água “pulando” pela superfície da Lua. Até a última década, os cientistas pensavam que o...

Pesquisadores da NASA descobriram moléculas de água “pulando” pela superfície da Lua. Até a última década, os cientistas pensavam que o satélite natural era completamente árido, com água presente somente em bolsões de gelo em crateras sombreadas perto dos polos.

Mas os dados recolhidos pela sonda Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO) identificaram águas superficiais em populações esparsas de moléculas ligadas ao solo lunar, ou regolito.

“Este é um resultado importante sobre a água lunar, um tema que vem se tornando mais relevante na medida em que o programa espacial volta a se focar na exploração lunar”, avalia o Dr. Kurt Retherford, pesquisador do Lyman Alpha Mapping Project (LAMP) — principal instrumento da LRO para detecção de água.

A quantidade e os locais onde as moléculas de água podem ser encontradas na Lua variam de acordo com a hora do dia. Ela é mais comum em latitudes mais altas e tende a “pular” conforme a superfície esquenta — usando o LAMP, os cientistas observaram moléculas de água se movendo ao redor do dia.

“Recentemente, convertemos o modo de coleta de luz do LAMP para medir sinais refletidos no dia a dia lunar com mais precisão, o que nos permite rastrear com mais precisão onde a água está e quanto está presente”, explica o Dr. Retherford.

De acordo com a NASA, as moléculas de água permanecem firmemente ligadas ao regolito até que as temperaturas da superfície atinjam o pico próximo ao meio-dia lunar. Com o calor, as moléculas saltam para um local próximo que seja frio o suficiente para se aderirem ou preencher a atmosfera extremamente tênue da Lua, até que as temperaturas caiam e as moléculas retornem à superfície.

“Esses resultados ajudam a entender o ciclo da água lunar e, em última análise, nos ajudarão a aprender sobre a acessibilidade da água que pode ser usada por humanos em futuras missões à Lua”, acredita Amanda Hendrix, cientista sênior do Planetary Science Institute e principal autora estudo publicado na Geophysical Research Letters.

“A água lunar pode potencialmente ser usada por humanos para produzir combustível ou para proteção contra radiação ou gerenciamento térmico; se esses materiais não precisarem ser lançados da Terra, isso tornará essas futuras missões mais acessíveis”, completa a cientista.

VER COMENTÁRIOS

Artigos relacionados