BENEFÍCIO

Matsunaga, Ana Jatobá e Suzane fazem ‘saidinha’

Condenadas por assassinatos, as três deixaram nesta segunda (23) a Penitenciária Feminina de Tremembé.

O Debate do Maranhão - 23/12/2019 13h51

Diferente das outras presas, Suzane von Richthofen deixou nesta segunda-feira (23) o presídio para saidinha temporária de Natal e Ano Novo em um carro para evitar exposição.

A presa saiu da Penitenciária Santa Maria Eufrásia Pelletier, em Tremembé (SP), por volta das 7h50 no banco de trás de um veículo com vidros escuros e placas de Angatuba (SP).

A determinação para que Suzane saísse de carro foi da Vara de Execuções Criminais de Taubaté, que justificou a medida por causa da repercussão sobre a publicação de um livro com a história de Suzane, condenada por matar os pais em 2002.

Com a orientação, um carro buscou Suzane dentro da unidade prisional. Já as outras detentas, como Elize Matsunaga e Anna Carolina Jatobá, deixaram a penitenciária a pé pelo mesmo portão, como geralmente acontece. As detentas devem voltar ao presídio até o dia 2 de janeiro.

A recomendação da Justiça é amparada na Lei de Execução Penal e foi justificada pela repercussão sobre a publicação de um livro sobre Suzane, que é alvo de disputa judicial. Na última semana, o Supremo Tribunal Federal derrubou uma liminar do Tribunal de Justiça de São Paulo que proibia a obra.

Segundo o autor do livro, Ulisses Campbell, a data de lançamento está prevista para janeiro de 2020.

A trama pretende recontar a história de um dos crimes de maior repercussão no país – Suzane planejou o assassinato dos pais, que foram executados pelo então namorado, Daniel Cravinhos, com ajuda do irmão dele, Cristian. Suzane e o ex-cunhado ainda cumprem pena na prisão pelos homicídios. Daniel Cravinhos, namorado de Suzane na época do crime, deixou a cadeia após ser beneficiado com regime aberto.

Elize Matsunaga

A detenta Elize Matsunaga, condenada por matar e esquartejar o marido Marcos Matsunaga, foi uma das primeiras a deixar a penitenciária nesta segunda-feira. Ela saiu da prisão por volta das 7h45 e deixou o local em um carro azul.

G1 apurou que a detenta vai usar o período fora da prisão para planejar a abertura de uma confecção para vender roupas para pets. A presa abriu a empresa há dois meses, com cadastro como Microempreendedor Individual (MEI), e deve abrir conta em banco e visitar contador no período de liberdade provisória.

Elize cumpre pena na Penitenciária Feminina 1 e pediu à Justiça autorização para ficar em um endereço em São Paulo para resolver pendências do negócio. Ela ainda deve visitar parentes em Pato Branco, no Paraná. O pedido foi aceito.

A detenta está presa desde 2012 pela morte do marido Marcos Matsunaga e foi condenada a 16 anos de cadeia. Em agosto desse ano, ela conseguiu o benefício do regime semiaberto, que permite as saídas temporárias. Desde o benefício, ela tem usado o tempo fora da prisão para dar andamento nos planos de empreender.

Anna Carolina Jatobá, condenada pela morte da enteada Isabella Nardoni, deixou a penitenciária Santa Maria Eufrásia Pelletier por volta das 8h. Ela saiu a pé e entrou rapidamente em um carro que a aguardava do lado de fora.

Saída temporária

O benefício de saída temporária de Natal e Ano Novo é concedido a 3,2 mil presos do sistema prisional no Vale do Paraíba. A saída teve início nesta segunda-feira (23) e os presidiários devem voltar para a cadeia no dia 2 de janeiro.

A maioria dos detentos liberados é do Centro de Progressão Penitenciária Edgar Magalhães Noronha (CPP – ‘antigo Pemano’). Além deles, também receberão o benefício os presos da P1 e P2 masculina de Tremembé, da P1 feminina, da Potim 2 e feminina de São José.

A saída temporária é um benefício do sistema prisional aos internos que cumprem pena em regime semiaberto.

Fonte: G1.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *