homicídio

Imagens perturbadoras: Corpo de Bianca Lourenço foi encontrado esquartejado

Corpo da jovem foi encontrado na última terça-feira após ela ficar desaparecida por quase dez dias.

O Debate do Maranhão - 14/01/2021 14h40

O desaparecimento e posterior descoberta da morte da jovem Bianca Lourenço, de 24 anos, fez com que o pai dela precisasse deixar o Rio de Janeiro com medo de sofrer retaliações do ex-namorado da filha, o traficante Dalton Luiz Vieira Santana, o “DT”, principal suspeito de cometer o homicídio.

Pouco mais de uma semana após deixar o estado, o homem, que não quis se identificar, afirmou que trocou a liberdade pela possibilidade de que seja feita justiça pela morte de Bianca. Segundo o pai, o traficante não aceitava o término da relação.

– Troquei minha liberdade pela justiça da minha filha – disse ele ao portal G1.

Dias depois do desaparecimento, o pai contou à TV Globo que chegou a ir à comunidade Kelson’s, na Zona Norte do Rio de Janeiro, pedir para que o ex-namorado da filha o ajudasse, ou que pelo menos entregasse o corpo da jovem. Na ocasião, o homem contou que Dalton disse não saber onde estava Bianca.

Nove dias se passaram sem que o homem tivesse de notícias de Bianca. Só na tarde de quarta-feira (13) veio a confirmação: um corpo mutilado encontrado na Ilha do Fundão na noite do dia anterior era o da filha. As impressões digitais do cadáver achado boiando próximo a uma praia no Fundão batiam com as da jovem, segundo peritos do Instituto Médico Legal.

Após receber a notícia de que o corpo podia ser o da filha, o homem disse que passou mal. A saída foi tomar um remédio que o dopou até o final da tarde de quarta.

– Na hora eu passei muito mal, eu fiquei todo trêmulo, o lado esquerdo do corpo ficou todo estranho. Eu não dormi direito, dormi das 4h às 7h. Quando eu almocei, o efeito do remédio me fez cambalear. Eu desmaiei e acordei quase 17h – disse.

O pai de Bianca também relatou que, além do medo de sofrer retaliações a mando do ex da filha, um outro problema surgiu: até a noite de quarta-feira (13), ele disse que não havia conseguido um local para o enterro do corpo da jovem. Em resposta, a Subsecretaria estadual de Vitimados afirmou que entrou em contato com a família de Bianca e marcou um encontro para esta quinta-feira (14) com o objetivo de ajudar nos trâmites do sepultamento.

O corpo de Bianca foi reconhecido pelas tatuagens.




Fonte: Pleno.News  e edição do jornalodebate.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *