Empreendedorismo

Empresária conta as dificuldades e como está fazendo para driblar a crise

“A reestruturação da empresa deve ser diária”

O Debate do Maranhão - 07/04/2021 12h43

Patrícia Soledad é formada em administração de empresas e já teve várias experiências em diversos mercados. Atualmente é sócia da Tudo Limpo (@_tudo_limpo_) uma empresa que cuida de higienização de casas, automóveis, etc. A empresa começou como uma forma de renda alternativa e agora está crescendo cada vez mais.

Com o início da pandemia Patrícia conta que eles precisaram se renovar, então buscaram se informar sobre novos maquinários e produtos, então implantaram novos serviços de limpeza, como a desinfecção de ambientes que até então não fazia parte do trabalho, também contrataram um bioquímico que pode assinar os laudos e autenticar os processos de higienização da empresa.

A maior dificuldade no início para a Tudo Limpo foi a falta de clientes, pois como a empresa trabalha com a limpeza na casa dos clientes ninguém estava disposto a recebe-los, após entrar com o novo serviço eles passaram a ter mais trabalhos novamente, além disso, Patrícia conta também sobre o receio de ter que ir fazer a higienização pois havia o medo de contaminação.

Ela também fala que apesar das dificuldades o número de funcionários da Tudo Limpo aumentou e que empresarialmente falando a pandemia ajudou no crescimento do seu negócio. Patrícia conta que a utilização das redes sociais nesse momento abriu muitas portas e que pretende estar cada vez mais presente no digital, já que perceberam uma procura maior do trabalho deles.

A profissional acredita que buscar se informar sobre novas possibilidades, equipamentos e produtos é uma estratégia a ser seguida e que faz uma empresa se destacar no mercado de trabalho já que é necessário se aprimorar e reinventar para se estabelecer no mercado de trabalho. A pandemia ensinou a Patrícia que ter uma rede de contatos é extremamente importante para um empreendedor e que ser transparente com seus clientes é essencial.

Texto por Bruna Ludmila G. Carneiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *