Processo democrático

Eleitorado jovem apto a votar diminui em 2020, enquanto o de idosos acima dos 70 anos subiu

O número de eleitores jovens aptos a votar caiu em 2020, enquanto o de idosos acima de 70 subiu,...

A juventude no processo democrático . Imagem TSE.

O número de eleitores jovens aptos a votar caiu em 2020, enquanto o de idosos acima de 70 subiu, em comparação com as eleições de 2016, isso reflete que a população brasileira está envelhecendo. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE), informou que 147,9 milhões de brasileiros poderão votar nas eleições municipais do ano 2020. Desse total, 1.030.563 são jovens de 16 ou 17 anos, o equivalente a 0,7% do eleitorado.

Enquanto ao gênero, o Tribunal Superior Eleitoral informou que a maioria do eleitorado é formada por mulheres, que representam 52,49% do total, somando 77.649.569, já os homens somam 70.228.457 eleitores, sendo 47,48% do total. Pela legislação, o voto é obrigatório para os maiores de 18 anos e facultativo para os jovens de 16 e 17 anos, os maiores de 70 anos e os analfabetos. Tendo em vista esses aspectos, como estaria o engajamento dos jovens nas eleições municipais deste ano? Para entender mais, convidamos dois estudantes universitários, Deovanne Ferreira (27 anos) e Oséas Batista (23 anos), para falar suas expectativas e observações tomadas sobre as eleições municipais de 2020.

Bom Deovanne, O que você sabe sobre eleições municipais?

Deovanne Ferreira: É o pleito que serve para escolhas dos gestores dos municípios assim como também para escolha dos vereadores (responsáveis por criações de leis municipais assim como fiscalização do gestor).

Quando se fala em eleições municipais o que lhe vem à cabeça Oséas?

Oséas Batista: A primeira ideia que surge é a escolha de pessoas que ocuparão os cargos de, talvez, maior responsabilidade na vida pública, em virtude da proximidade com o cidadão e também pelo dever que os prefeitos e vereadores têm na administração (no caso dos prefeitos) e de fiscalizar o uso (atribuição dos vereadores) dos recursos públicos que serão usados diretamente em prol da população.

Oséas você ver as eleições municipais como uma das mais importantes?

Oséas: Sim, mas infelizmente a maioria dos eleitores não veem assim as eleições municipais. Como disse na resposta anterior, os prefeitos e vereadores são os cargos políticos que maior proximidade com o cidadão. No Brasil, pelo nosso sistema político ser presidencialista, as pessoas atribuem tudo o que acontece — de bom e de mau– ao presidente da república, seja ele quem for. E de fato, o presidente no Brasil tem muito poder. A maioria dos serviços públicos oferecidos à população são gerenciados pelos estados e municípios. Cabe ao prefeito a responsabilidade pela saúde, transporte público, educação básica e fundamental, e saneamento básico (em parceria com o estado). Eu tenho certeza que a maioria do eleitorado não leva em consideração esses fatores no momento da escolha do candidato em que votará; candidato que, além de habilidade política, precisa ter capacidade administrativa e, portanto, técnica para desempenhar tal função. Todas essas atribuições são cumpridas a partir do acesso ao Fundo de Participação dos Municípios, dinheiro repassado pela União às prefeituras, em razão das mesmas não possuírem fundos para custear todas essas obrigações. Cabe aos vereadores além de propor projetos de leis, fiscalizar o trabalho do prefeito, sendo, portanto, o representante do povo, como acontece nas democracias representativas como é a nossa. Nesse sentido, depois de elencados todos esses fatores, eu concluo que as eleições municipais são as mais importantes.

As campanhas eleitorais ajudam bastante o eleitor jovem a escolher melhor seus candidatos?

Deovanne: Não acredito muito nisso, o que vejo do eleitor jovem é que ele está à procura de alguém a qual se identifique e, as campanhas eleitorais não estão suprindo essa necessidade. Deixando o eleitor jovem sem muitas opções. Hoje esse eleitorado recorre às redes sociais onde analisam os perfis e reforçam as suas ideias.

A pandemia pode afetar todo esse processo de eleição?

Deovanne: Sim. Acredito que pandemia tenha feito com que os eleitores analisassem os políticos atuais e suas gestões, o que foi feito de fato para a população e o que não foi feito. Qual o legado para os demais.

Como os candidatos podem chamar atenção do público jovem?

Oséas: A internet é o principal meio para chegar ao jovem. Antes, as estruturas como: entidades estudantis, sindicatos, imprensa etc… realizavam a mediação dos partidos com a sociedade. Depois do advento da internet essas antigas estruturas ficaram em parte ultrapassadas. Elas ainda desempenham um papel na sociedade, especialmente a imprensa, mas hoje elas disputam o protagonismo com outras arenas, como as mídias sociais, lugar em que a comunicação é instantânea e cada um pode expressar seu sentimento. Os partidos políticos brasileiros não souberam captar essa mudança social e ficaram para trás. Hoje eles não são capazes estabelecer uma comunicação eficaz com a sociedade, principalmente com os jovens. Em parte, pela incapacidade de perceber as transformações no âmbito da comunicação, e também pela associação dos partidos políticos com a corrupção.  Eu vejo uma procura do eleitorado pelo novo. Eu acredito, nesse sentido, que o político que conseguir estabelecer uma comunicação no âmbito digital, apresentando algo novo e real certamente terá uma conexão maior com o público jovem.

 

Stephany Katriny Monteiro Ferreira – Estagiaria

 

FONTES:

(TSE) Tribunal Superior Eleitoral

https://www.tse.jus.br/imprensa/noticias-tse/2020/Agosto/brasil-tem-147-9-milhoes-de-eleitores-aptos-a-votar-nas-eleicoes-2020

(G1) portal de noticias

https://g1.globo.com/politica/eleicoes/2020/noticia/2020/08/05/numero-de-eleitores-entre-16-e-17-anos-aptos-a-votar-em-2020-cai-e-o-de-idosos-aumenta.ghtml

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

VER COMENTÁRIOS

Artigos relacionados