Assassinatos

Atentado contra indígenas: Moro avalia enviar Força Nacional ao MA

Ministro da Justiça informou que agentes da Polícia Federal foram enviados ao local do crime.

O Debate do Maranhão - 08/12/2019 14h15

Sergio Moro: ministro da Justiça avalia mandar a Força Nacional ao Maranhão

A Polícia Federal irá assumir as investigações do atentado que matou dois índios da etnia Guajajara e deixou outros dois feridos neste sábado(8) no Maranhão. A informação foi confirmada pelo ministro Sergio Moro. Em uma rede social, Moro destacou ainda que será avaliada a viabilidade do envio de uma equipe da Força Nacional à região.

“Lamento o atentado, ocorrido no Maranhão, que terminou com dois índios guajajaras mortos e outros feridos. Assim que soube dos tiros, a Funai foi até a aldeia tomar providências, junto com as autoridades do governo do Maranhão. A Polícia Federal já enviou uma equipe ao local e irá investigar o crime e a sua motivação. Vamos avaliar a viabilidade do envio de equipe da Força Nacional à região. Nossa solidariedade às vítimas e aos seus familiares”, publicou o ministro.

Na manhã deste sábado, dois indígenas da etnia Guajajara foram mortos e outros dois ficaram feridos após sofrerem atentado a tiros na BR-226 entre as aldeias Boa Vista e El Betel, no município de Jenipapo dos Vieiras, localizado a 506 km de São Luís, capital do Maranhão.

As vítimas fatais foram identificadas como Firmino Silvino Guajajara e Raimundo Bernice Guajajara. Em um vídeo publicado nas redes sociais, um dos índios feridos conta que ele e Firmino Guajajara, que não sobreviveu ao ataque, seguiam em uma motocicleta quando foram surpreendidos por dois tiros disparados por ocupantes de um veículo de cor branca.

Há um mês, outro indígena da etnia Guajajara foi assassinado no Maranhão. O líder e integrante do grupo Guardiões da Floresta, Paulo Paulino Guajajara, foi morto durante uma emboscada na Terra Indígena Arariboia, na região de Bom Jesus das Selvas.

Por Agência O Globo, com edição do jornalodebate.com.br

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *