MAIS MÉDICOS

107 profissionais do Mais Médicos chegam ao Maranhão

O Maranhão recebeu 107 profissionais do Programa Mais Médicos que vão atuar em 63 municípios do estado, substituídos os médicos cubanos que não participam mais do programa. O desembarque dos médicos aconteceu...

O Debate do Maranhão - 30/03/2019 11h55

O Maranhão recebeu 107 profissionais do Programa Mais Médicos que vão atuar em 63 municípios do estado, substituídos os médicos cubanos que não participam mais do programa. O desembarque dos médicos aconteceu na tarde de ontem, em São Luís.

No Maranhão, o total de vagas destinadas ao Mais Médicos são de 773. Dessas, 471 ficaram em aberto com a saída dos médicos cubanos. Uma parte deles, 17 no total, trabalharão por meio do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI), unidade descentralizada do Subsistema de Atenção à Saúde Indígena (SasiSUS). As vagas destinadas ao Mais Médicos no Maranhão vêm sendo preenchidas desde dezembro de 2018.

De acordo com a chefe do Departamento de Atenção à Saúde da Família da SES e coordenadora da Comissão Estadual do Programa Mais Médicos, Ana Carolina Fernandes, os médicos estarão atuando junto à Equipe de Estratégia Saúde da Família (ESF).

Natural do Rio de Janeiro, Andrea Rodrigues irá trabalhar na cidade de Cururupu. Ela se formou em Medicina na Bolívia e disse que adquiriu experiência na assistência médica em localidades caracterizadas pelo baixo desenvolvimento socioeconômico. “Poder participar do Mais Médicos aqui no Maranhão é ter a oportunidade de reviver o serviço que desempenhei na Bolívia. Estou bastante animada com o meu novo local de trabalho. Já ouvi falar do município, pesquisei sobre ele e tudo que vi me encantou e confirmou o meu embarque para cá”, destacou.

O médico Abimael Nascimento, que é da Bahia, irá atuar no polo indígena de Bom Jesus das Selvas. “Quando eu acessei o programa descobri que havia necessidade de trabalho com a população indígena. Tinha a opção de ir para o Amapá e o Amazonas, mas como eu sou nordestino eu dei preferência por ficar na minha região e trabalhar junto com os meus. Sei que o serviço será desafiador, mas é justamente isso que me motiva”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *