16 de novembro de 2017
Logo do Jornal O Debate
Publicidade

Postado por Odebate em 16/nov/2017

Projeto do SAMU leva conhecimento sobre primeiros socorros a escolas da rede municipal

Os alunos foram capacitados para prestar socorro em casos de engasgos e até parada cardiorrespiratórias. (Foto: Divulgação)

Conscientizar, educar e treinar para salvar vidas. Com este propósito, equipes do Serviço de Atendimento de Urgência e Emergência (Samu), da Prefeitura de São Luís, criaram o projeto Samuzinho. A ação capacita alunos do 6ª ao 9ª ano da rede municipal para prestar socorro em casos de paradas cardiorrespiratórias e engasgos, até a chegada do atendimento de urgência. Na tarde desta terça-feira (14), as equipes estiveram na U.E.B. Major Augusto Mochel, no Maracanã.

O Samuzinho nas Escolas é uma ação permanente, realizada duas vezes por semana, com aulas teóricas e práticas. Nesta etapa, a ação é promovida nas escolas da zona rural. “O projeto está inserido no contexto das ações educativas desenvolvidas pela gestão, conforme plano de ações do prefeito Edivaldo e por meio deste planejamento sensibilizamos as crianças sobre o trabalho realizado pelo Samu”, pontua o secretário Municipal de Saúde (Semus), Lula Fylho. Ele acrescenta que a ação estimula a cidadania e contribui para formar pessoas que reconheçam a importância da prestação dos primeiros socorros e do bom uso dos serviços públicos.

Os procedimentos são simples e o objetivo principal é treinar o maior número possível de pessoas para socorrer vítimas de acidentes, destaca o diretor técnico do Samu, Giuseppe Rocha. “Orientamos sobre esses agravos, para que os alunos reconheçam e apliquem o tratamento de compressão, para manter a sobrevida, até chegar o socorro especializado. A diretriz é internacional e pode salvar muitas vidas”, reforça a enfermeira do Samu e coordenadora do projeto, Renata Miranda.

A enfermeira ressalta que as crianças nesta idade – a partir dos 10 anos – têm plenas condições de assimilar as orientações dadas na capacitação. A equipe que ministra as aulas é multidisciplinar e conta com enfermeiros, fisioterapeutas e técnicos. Os alunos – e também professores – recebem instruções sobre manobras para o primeiro atendimento nestes casos e como acionar o serviço de emergência. A linguagem é clara e adequada à idade, para que assimilem facilmente o conteúdo.

Na UEB Major Augusto Mochel, mais de 200 estudantes já participaram da capacitação. “Aprendi a salvar uma pessoa de um engasgo. Eu gostei muito de participar. Já vi uma vez uma pessoa engasgada, mas só bati nas costas. Agora eu sei que tem um jeito certo de fazer isso”, disse o estudante do 6º ano, Luan Cabral, 12 anos.

Para a estudante do 9º ano, Hildenê Rayane Rodrigues, 15 anos, os conhecimentos adquiridos podem ser cruciais na hora de salvar uma vida. “Eu aprendi muita coisa que eu não sabia, como uma massagem cardíaca. São coisas básicas que eu não sabia, mas que são muito importantes, porque a qualquer momento pode ter uma pessoa ao nosso lado passando mal e, a gente sabendo essas coisas, pode ajudar mais fácil”, contou.

O diretor adjunto da UEB Major Augusto Mochel destacou que a novidade desperta o interesse dos jovens. “Projetos como esse são frequentemente desenvolvidos na escola, com o objetivo de trazer aos estudantes conhecimentos de diversas áreas. Eles têm uma didática muito boa e a gente percebe o quanto os estudantes ficam ansiosos para saber mais”, ressaltou.

SALVANDO VIDAS

Os profissionais do Samu desenvolvem ainda a ação Samu Solidário, no qual trabalham a conscientização e realizam treinamento dos estudantes universitários. O trabalho foi destacado como exemplo a outras unidades do serviço no país, em divulgação na revista Emergência, publicação nacional de referência da área de saúde.

Loading Facebook Comments ...

0 Comentários

Deixe o seu comentário!