Prefeitura intensifica ações de combate ao Aedes aegypti nos bairros São Francisco e Ilhinha

Até sexta-feira (29), os bairros São Francisco e Ilhinha recebem uma grande ação de limpeza urbana realizada pela Prefeitura...

Até sexta-feira (29), os bairros São Francisco e Ilhinha recebem uma grande ação de limpeza urbana realizada pela Prefeitura de São Luís com o objetivo de combater o mosquito Aedes aegypti, intensificando as ações de coleta de resíduos que já é feita diariamente nestes locais. Durante o “bota fora”, que começou na terça-feira (27), os agentes de controle de arboviroses visitam ruas e avenidas dos bairros com atividades de nebulização espacial com o carro fumacê, visitas às residências para a coleta de resíduos volumosos e colocação do “Selo Legal” em estabelecimentos comerciais como borracharias, ferros-velhos e oficinas que estão seguindo as recomendações de prevenção.

O trabalho segue determinação do prefeito Edivaldo e está sendo coordenado pela Secretaria Municipal de Saúde por meio da Superintendência Municipal de Vigilância Epidemiológica e Sanitária com o apoio do Comitê Gestor de Limpeza Urbana. A ação tem o objetivo de combater as chamadas arboviroses, que são doenças transmitidas por insetos, como a dengue, febre chikungunya e zika vírus, e educar a população sobre o descarte correto de resíduos sólidos.

No primeiro dia da ação o principal alvo das equipes foram as borracharias. “Estamos voltando a estes estabelecimentos para verificar se eles fizeram as adequações que pedimos durante nossa visita na última ação realizada nesta área da cidade”, informou o coordenador municipal de Controle às Arboviroses, Pedro Tavares.

Pneus podem se tornar criadouros do mosquito Aedes aegypti, que transmite dengue, febre chikungunya e zika vírus. Alguns deles acabam sendo descartados em terrenos baldios que foram limpos por equipes de remoção mecanizada da Prefeitura. “Todo ponto de descarte irregular de resíduos representa riscos à saúde pública porque favorece a proliferação de insetos e outros animais transmissores de doenças”, destacou a presidente do Comitê Gestor de Limpeza Urbana, Carolina Estrela.

Ao longo dos três dias, será feito o recolhimento porta a porta de resíduos volumosos – móveis velhos como sofás e colchões, aparelhos como TVs, restos de capina e poda domésticas e de material de construção. A população deve colocar estes resíduos do lado de fora de suas casas para que sejam recolhidos.

“Estes materiais já são recolhidos nos sete Ecopontos em funcionamento em São Luís. Na região do São Francisco e Ilhinha funciona o Ecoponto Jardim Renascença, localizado na Rua Netuno, próximo à Paróquia São Paulo Apóstolo, mas durante o ‘bota fora’ fazemos uma coleta mais concentrada, indo direto nas casas da população”, afirmou Carolina Estrela.

Os bairros São Francisco e Ilhinha somam cerca de 6 mil domicílios e mais de 20 mil moradores. A Avenida Ferreira Gular, na Ilhinha, tem pontos de descarte irregular de resíduos sólidos, apesar da coleta ser diária e realizada duas vezes ao dia na localidade.

SELO

No primeiro dia da ação, as equipes da Vigilância Sanitária inspecionaram as borracharias situadas nos bairros para a concessão do “Selo Legal”. O selo é entregue a estabelecimentos comerciais como borracharias, ferros-velhos e oficinas que estão seguindo as recomendações de prevenção da Prefeitura.

O borracheiro Evandro Lopes é dono de uma borracharia na Avenida Ana Jansen e seu estabelecimento já havia sido inspecionado. Na época, ele foi notificado porque não cumpria todas as normas exigidas pela Vigilância Sanitária. “Ele fez muitas melhorias desde a nossa última inspeção, mas ainda tem algumas adequações que precisam ser feitas. Nós o orientamos e vamos voltar aqui novamente para verificar se ele está seguindo todas as normas”, explicou Pedro Tavares.

Na inspeção de terça-feira (27), os fiscais observaram problemas no acondicionamento dos pneus. “Sei que eu não posso deixar os pneus aqui na calçada porque pode juntar água parada. Eu vou procurar uma forma para poder guardar corretamente os pneus e evitar riscos à população”, disse Evandro Lopes.

VER COMENTÁRIOS

Artigos relacionados