TA NO PÁREO

Alckmin diz concordar com a presença de Haddad em debates

O candidato do PSDB ao Planalto, Geraldo Alckmin, disse concordar com a presença de Fernando Haddad (PT) nos debates presenciais. O petista atualmente ocupa o posto de vice na chapa encabeçada pelo...

O Debate do Maranhão - 15/08/2018 12h11

O candidato do PSDB ao Planalto, Geraldo Alckmin, disse concordar com a presença de Fernando Haddad (PT) nos debates presenciais. O petista atualmente ocupa o posto de vice na chapa encabeçada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que está preso. “Se ele for convidado pelas organizações do evento, não tem nenhum problema, não me oponho.”

Aliados do tucano afirmam que pode ser benéfica a entrada de Haddad nos debates, o que permitiria que sua imagem fosse desconstruída pelos adversários.

Por outro lado, a principal investida de Alckmin continuará sendo contra Jair Bolsonaro, de quem Alckmin acredita que pode herdar votos. Sua vice, Ana Amélia (PP), é 1 dos trunfos do tucano para ter maior penetração no eleitorado de Bolsonaro.

As declarações foram dadas em evento da Unecs (União Nacional de Entidades do Comércio e Serviços), que fez sabatina com 5 candidatos à Presidência: Alvaro Dias, Ciro Gomes, Fernando Haddad, Henrique Meirelles e Alckmin.

Judiciário

Alckmin ainda se manifestou contra o reajuste de salários ao Judiciário. “Quem está no topo, tem que dar o exemplo”, disse o tucano. “O problema não são os 11 juízes que estão sem desconto há 1 bom tempo, mas é o efeito cascata”, afirmou.

O STF (Supremo Tribunal Federal) aprovou proposta para aumento de 16,38% no salário de ministros, de R$ 33.763 para R$ 39.300. O novo salário, se aprovado, passará a ser o novo teto do funcionalismo e irá gerar 1 efeito cascata no funcionalismo.

Segurança

Alckmin defendeu mais participação do Estado no encarceramento para combate da violência. “Como reduzimos os homicídios em São Paulo? Porque prendeu [os criminosos]. Temos 228 mil presos no Estado”, afirmou. “Tem Estado que faz verdadeiras mágicas, passa ano e sai ano e tem a mesma população carcerária, porque não tem nem onde por.”

Alckmin defendeu o fim do uso de distritos policiais para a manutenção de presos provisórios. “Não pode ter preso em distrito policial, se não você acaba com o trabalho da polícia. O papel da polícia civil é investigar”, disse.

Reformas

No evento, Alckmin cumprimentou o relator da reforma trabalhista no Congresso, Rogério Marinho (PSDB-RN), e foi aplaudido pela plateia. “O governo não cria emprego, precisa estimular, facilitar, emular uma agenda de competitividade”, disse.

O tucano também defendeu a diminuição de burocracias. “Ninguém precisa ter extintor no carro, mas no Brasil precisa, e ainda precisa ficar trocando por 1 mais moderno.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *